quinta-feira, 10 de junho de 2021

Sem coveiro, cidade da PB registra outro caso de família tendo que enterrar vítima de Covid-19

Familiares tiveram que enterrar parente apenas com a ajuda de funcionários da funerária, por falta de coveiros, no Sertão da Paraíba — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Franciberto Carneiro relata que teve que fazer o sepultamento da própria mãe, Elizabete Vieira Carneiro, que morreu de Covid-19 no dia 1º de junho, com a ajuda de funcionários da funerária, por falta de coveiros no cemitério de Riacho Dos Cavalos, na Paraíba. O caso foi divulgado nesta quinta-feira (10). Este é o segundo relato de familiares tendo que enterrar os próprios parentes na cidade.

O G1 tentou entrar em contato com a prefeitura da cidade por telefone, mas até a publicação desta matéria, não obteve respostas.

Segundo Franciberto, ao chegar com o corpo no cemitério, encontrou a cova aberta, mas nenhum coveiro ou pessoal de apoio que estivesse devidamente vestido para fazer o sepultamento de sua mãe, que morreu por conta da Covid-19.

"O que aconteceu com a gente não é para acontecer com ningúem não (...) a pessoa tem medo de ir e se infectar também, mas desse jeito, fui obrigado. Eu não ia deixar minha mãe, o corpo da minha mãe, do lado de fora, esperando no cemitério para outra pessoa vir enterrar. Eu preferia morrer do que deixar acontecer um negócio desse com minha mãe. Por isso que eu fui enterrar ela", relatou Franciberto.

Com isso, ele enterrou com a ajuda dos funcionários da funerária, que haviam buscado o corpo na cidade de Pombal, onde sua mãe estava internada.

Francinaldo disse ao G1 que acha que o caso que aconteceu com sua mãe foi o primeiro da cidade e que a Secretaria de Saúde teria conhecimento do ocorrido - dado que ele esteve na secretaria para assinar documentos acerca do sepultamento.

"Eu não ia botar para frente não, mas como ocorreu de novo, aí eu resolvi falar para ver senão acontece mais com outras pessoas. A gente que é pobre e depende deles (prefeitura)".

Sem coveiro, família tem que enterrar parente que morreu de Covid-19, em Riacho dos Cavalos, na PB — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Nesta quarta-feira (9), o G1 registrou um caso semelhante. A família de Manoel Pinheiro da Silva, de 78 anos, teve que enterrar o parente sem o auxílio de um coveiro e sem os equipamentos de proteção individual necessários, na cidade de Riacho dos Cavalos, no Alto Sertão da Paraíba. Além de tirar do carro da funerária, eles tiveram que levar o caixão até o local do enterro, colocá-lo na cova e enterrá-lo.

A Secretária de Saúde de Riacho dos Cavalos, Priscila Soares Farias, informou na quarta-feira que não estava sabendo do caso. Ela disse que vai procurar o coveiro da cidade para saber o que aconteceu e também vai acionar a assessoria jurídica do município, para somente depois falar sobre o sepultamento do idoso.

Manoel morreu no último domingo (7), após passar vários dias internado. A família providenciou que uma funerária fosse pegar o corpo no Hospital de Pombal, onde ele estava. Ao contrário do novo caso , não havia coveiro ou pessoal de apoio no cemitério para tirar o corpo do carro da funerária e levar para a cova.

A família informou à TV Cabo Branco que pagou R$ 50 para uma pessoa abrir a cova. Foram os sobrinhos de Manoel que carregaram o caixão, usando apenas luvas como equipamento de proteção.

Sobrinhos de homem que morreu de Covid-19 têm que carregar caixão por falta de auxílio no cemitério, na PB — Foto: TV Paraíba/Reprodução

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only