segunda-feira, 22 de fevereiro de 2021

Polícia e MP dizem que áudios permitem reabrir investigação sobre padre Robson


Reportagem do Fantástico da TV Globo exibida neste domingo (21) revelou áudios que foram apreendidos em agosto passado na investigação que apura crimes de lavagem de dinheiro cometidos pelo Padre Robson de Oliveira, da Basílica do Divino Pai Eterno, em Trindade (GO), que desviou dinheiro de uma associação criada para administrar doações feitas à igreja.

Os áudios eram gravados pelo padre, que tinha o costume de gravar reuniões de que participava, e uma perícia realizada no material atestou que a voz é do padre Robson e que o material não sofreu alterações.

Para a Secretaria de Segurança Pública (SSP) e o Ministério Público Estadual de Goiás, o material analisado indica novos crimes de lavagem de dinheiro e de organização criminosa cometidos pelo padre e funcionários da associação e que os novos indícios são suficientes para que o STJ (Superior Tribunal de Justiça) reabra a investigação, trancada pelo Tribunal de Justiça de Goiás, em outubro do ano passado.

Os áudios revelam que o padre teria pago milhões de reais em uma sequência de extorsões e subornos que sofreu nos últimos anos. O dinheiro para esses pagamentos veio da associação Afipe (Associação Filhos do Pai Eterno), criada para administrar as doações da igreja.

A reportagem revelou que uma das extorsões teria sido praticada pelo jornalista Tayrone di Martino, ex-vereador em Goiânia, e marido de Talitta di Martino, que trabalha com o padre na Afipe.

Talita, segundo a investigação, teria um caso amoroso com o padre Robson e a descoberta teria levado Tayrone a extorquir o padre, que tirou R$ 350 mil da Afipe para pagar honorários para o jornalista escrever uma biografia dele. A biografia nunca foi localizada, dizem os investigadores. Em um áudio enviado pelo padre à Talita ele admite que foi extorquido.

A série de extorsões contra o padre, afirma a reportagem, revela que a primeira delas partiu de um hacker, em 2017. O caso foi investigado pela polícia, mas, mesmo assim, o padre teria desembolsado R$ 2 milhões e o material comprometedor sobre o padre não foi encontrado.

Segundo a investigação, o padre sofreu uma terceira extorsão, feita pelo marido de uma jornalista que soube da investigação. Com a ajuda da então delegada de Trindade, Renata Vieira, o caso teria sido abafado. A delegada, que admite ser amiga do padre, foi afastada e a delegacia está sob intervenção da SSP de Goiás.

O esquema do padre teria movimentado R$ 2 bilhões de reais em dez anos, dinheiro com o qual foram adquiridas fazendas, um avião e uma casa de praia. A nova basílica de Trindade, que está em construção desde 2012, até hoje não está pronta.

Bilhete encontrado entre o material apreendido mostra várias anotações suspeitas. Uma delas diz “R$ 600 mil do desembargador”. Para a polícia, os negócios escusos do padre podem ter sido ocultados por vários anos com apoio do judiciário.

Outro lado

A defesa do padre Robson diz que ele desconhece o teor das mensagens, elas “são fruto de montagens de pessoas inescrupulosas” que o extorquem há anos e que ele é perseguido por políticos. O padre pediu para que “permitam que eu siga com a minha vida religiosa em paz”.

A delegada admitiu que é amiga do padre, mas que investigou o caso denunciado dentro da lei.

No Twitter, Tayrone publicou um vídeo mostrando trechos de um texto sobre a igreja de Trindade que ele alega ter escrito.

O Tribunal de Justiça de Goiás divulgou uma nota dizendo que não se pode presumir a ocorrência de irregularidades no julgamento de processos a partir de conversa mantida entre advogado e cliente.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only