segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Modelo paraibana trazia R$ 8 mil e foi morta após relações sexuais com suspeito, diz delegado


O desdobramento de uma investigação trouxe à tona, neste domingo (20), um crime que está tomando repercussão em todo estado. A modelo Lorrayne Damaris da Silva, de 19 anos, que estava sendo procurada pela família após não dar mais notícias ao desembarcar no aere porto Castro Pinto, na região metropolitana de João Pessoa, teve o corpo encontrado. O local da desova foi apontado pelo homem com quem ela manteve um relacionamento. Ele confessou que matou a jovem por estrangulamento.

Segundo o delegado João Paulo Amazonas, do Núcleo de Homicídios de Santa Rita, Lorrayne estava em Goiânia e tinha a intenção de passar as festas de fim de ano com a família em João Pessoa. Nessa viagem, um dos planos da modelo seria também se submeter a um procedimento estético. Ela estava trazendo, de acordo com a investigação, uma quantia de R$ 8 mil para custear essa cirurgia.

Apesar de ter terminado o relacionamento com Keneddy Ramon Alves Linhares, de 32 anos, há cerca de um mês, Lorrayne mantinha contato com ele. O ex-namorado foi o responsável por buscar a jovem no aeroporto. Após isso, foram até uma casa de veraneio na cidade de Lucena, no Litoral Norte paraibano.

Ainda segundo o depoimento, chegando na casa, eles mantiveram relações sexuais e começaram a conversar. Keneddy não aceitava o fim do relacionamento e o estilo de vida da modelo. Ele pediu para que ela largasse tudo para ficar com ele. A partir de então iniciou-se uma discussão, que se intensificou.

O suspeito relatou, segundo o delegado, que a jovem partiu para cima dele com tapas, foi então que ele teria pressionado o pescoço dela até ela perder os sentidos. Após isso, o homem teria colocado a jovem no carro e partiu em direção a Campina Grande. No trajeto, ele decidiu abandonar o corpo a jovem às margens do rio Paraíba, nas imediações de Café do Vento. Ele alegou ter medo de ser parado pela Polícia Rodoviária Federal.

Já em Campina Grande, ele teria abandonado o veículo e partido para a Bahia. A polícia investiga o suposto pagamento dos R$ 8 mil a um motorista por aplicativo. Ele teria recebido o dinheiro para deixar o suspeito na cidade de Eunápolis, no Sul da Bahia.

A partir de então, Keneddy começou a apresentar um comportamento suspeito nas redes sociais. Ele passou a bloquear seus perfis nas redes sociais. A famílai de Lorrayne tinha prestado queixa sobre o desaparecimento da jovem e o comportamento do ex-namorado fez com que a polícia seguisse uma linha de investigação. Um mandado de prisão foi pedido e acatado pela Justiça.

Uma ação conjunta entre as polícias civis da Paraíba e da Bahia deram cumprimento a esse mandado. Já detido, Keneddy confessou o crime e apontou o local da desova do corpo, que foi encontrado já em estado de decomposição.

De acordo com o depoimento, Keneddy conheceu Lorrayne quando ela tinha apenas 16 anos. Eles mantiveram um relacionamento desde então. Não foi informado se a relação era conturbada, mas, segundo a polícia, Keneddy tem alguns antecedentes criminais. Alguns por violência doméstica.

A família deve preparar o sepultamento da jovem. Já Keneddy segue à disposição da Justiça.

Postar um comentário

Whatsapp Button works on Mobile Device only